As redes sociais e a Copa do Mundo

Faltam 09 dias, 03 horas e 40 minutos para o maior espetáculo da Terra.

É, meus amigos, a Copa do Mundo já tá pra acontecer, mas parece que a população só lembrou dela faltando seis meses para sua chegada.

Desde o início do ano, venho planejando escrever sobre esse evento, com o objetivo de fazer alguma analogia sofisticada junto às mídias sociais. Mas, acredite, são tantos os caminhos que resolvi fazer uma abordagem diferente: quero aproveitar este espaço e o momento para dividir e analisar um pequeno pout-pourri de fatos recentes e esta conexão tão interessante entre esporte e redes sociais.

Vamos aos casos:

Greves e manifestações para todos os lados!

As manifestações que outrora surgiram como coletivas e transformadoras hoje se apresentam como de nicho, segmentadas e com objetivos questionáveis.

Neste cenário, as mídias sociais surgiram como o principal instrumento de integração e incitação. Através da internet, surge uma nova rede de comunicação, motivação, organização e, por que não dizer, “cobertura jornalística”. Para o bem ou para o mal, a internet e as mídias sociais estão transformando discurso em realidade, promessa em atitude.

Untitled-1

Muito se fala de uma forte mobilização popular durante a Copa do Mundo. O Governo Federal já vem utilizando sistemas de monitoramento social para tentar mapear os movimentos e reduzir iminentes confrontos ou até mesmo identificar os líderes de grupo. Resta saber se teremos efetivamente este tipo de iniciativa durante o evento e quais serão as consequências para o país.

 

A rede social e suas polêmicas.

Algumas pessoas estão perdendo o senso na hora de desabafar na internet. Por incrível que pareça, muitos ainda duvidam ou ignoram o poder da viralização na web.

O caso mais recente é o da atual Diretora do COL, Joana Havelange, que não refletiu antes de compartilhar um post polêmico sobre a Copa: “O que tinha de ser roubado já foi”, dizia a mensagem.  O povo não gostou nada e, de forma muito rápida, Joana conheceu o poder do meme. Não é de hoje que as pessoas se manifestam em suas contas “pessoais” sem se preocupar com o lado profissional. Ronaldo, Pelé e Xuxa são exemplo de famosos desavisados. E como ignorar o caso da professora da PUC/RJ? Em breve, teremos a criação de um novo profissional: o personal social media coach! Duvida? Dá uma olhada.

Untitled-2

Expectativa de cobertura. 

A última Olimpíada de Inverno, que aconteceu em Sochi, serviu como um prelúdio de como teremos um envolvimento massivo de atletas e público nas redes sociais. Essa será a primeira Copa onde teremos uma cultura de compartilhamento e acesso à internet disponível por todos.

Se pensarmos especialmente em dispositivos móveis, podemos afirmar que quem estiver presente nos estádios vai desejar compartilhar sua localização, fotos e vídeos. Os turistas desejarão utilizar os serviços de geologalização no país procurando rotas e dicas nas cidades-sede. Teremos transmissões ao vivo pela internet de 100% dos jogos através de streaming. São tantas possiblidades que estou realmente ansioso para saber se conseguiremos dar vazão a toda esta demanda. Como estarão nosso 4G, 3G, E e GPRS (sim, porque ainda ontem na Barra da Tijuca, mesmo com o melhor plano da operadora, meu celular estava em GPRS…)? Enfim, quem viver, verá! Nossos pensamentos positivos para a Anatel.

Untitled-3

 

Ingressos e leilão. 

Poucas pessoas tiveram a oportunidade de comprar um ingresso para Copa do Mundo. O sistema de sorteio foi questionado e a demanda foi enorme. As redes sociais estão servindo para auxiliar as pessoas a encontrar uma nova oportunidade. É que muita gente se empolga na hora de se candidatar e depois se arrepende. Fique atento aos espertinhos de plantão e pessoas mal intencionadas. Uma dica: haverá um período de troca no site oficial da FIFA.

Untitled-4

 

 E os atletas?

Bom, cada seleção lida com as redes sociais de uma forma. No Brasil, o técnico Luiz Felipe Scolari já disse a seus jogadores que os famosos selfies e compartilhamentos estão liberados, mas com “moderação”. O técnico da Espanha voltou atrás de sua proibição e disse que “pelo sacrifício dos atletas em ficar semanas na concentração” sua comissão técnica não fará restrições em relação ao uso de redes sociais durante a competição. Acho que na seleção do Irã não existe este tipo de problema…

Untitled-5

 

 A guerra das hashtags? 

#NaovaiterCopa e #VaiTerCopaSim são as líderes dos manifestantes de sofá (link para post no FB). Só se fala disso nas redes sociais e a cada comentário uma nova batalha é iniciada. Nosso colegas da A2 Comunicação desenvolveram com exclusividade para a INFO uma pesquisa com enfoque para esta disputa. O resultado foi um infográfico muito interessante. A propósito, segue uma dica muito divertida sobre a origem do “movimento”#naovaitercopa: Confira.

Untitled-6

 

 E por falar em hashtags…

Segue uma dica muito bacana para quem adora acompanhar em tempo real tudo o que circula nas redes sociais: o site Cur.to reúne em um só local todas as hashtags postadas no Facebook, Twitter, Instagram e Vimeo sobre a Copa do Mundo.

A utilização promete ser bem simples, bastar buscar palavras chave relacionadas ao assunto, como “Seleção”, “Neymar”, “Brasil”, etc.

Untitled-7

 

 Iniciativa Federal. 

O pessoal do Ministério do Turismo resolveu lançar nas redes sociais a campanha #MeuBrasilMTur. O objetivo é promover roteiros nas cidades-sede e regiões. A proposta é que os internautas possam enviar dicas de eventos, passeios e locais que podem ser aproveitados pelos turistas. Instagram, Facebook e Twitter são as mídias sociais mais utilizadas pelos colaboradores. A gente foi conferir a hashtag e… Parece que a adesão é forte apenas pelo próprio Ministério ou por empresas ligadas à área de turismo. Vamos combinar que com esta hashtag escolhida o resultado não poderia ser muito diferente…

Untitled-8

 

 Oportunidade para o Twitter? 

Embora o Brasil já se destaque como um dos cinco principais mercados do mundo, a expectativa para o crescimento da rede social durante a Copa é enorme.

Em pesquisa recente, o Twitter aponta que 99% dos brasileiros irão acompanhar os jogos da Copa do Mundo (surpreendente, não?). O estudo afirma ainda que 3 em cada 4 planejam assistir mais jogos em 2014 do que assistiram na Copa da África do Sul em 2010. Ao todo, foram 1.007 internautas no Brasil entrevistados e, como toda pesquisa, há margens para argumentação…

O dado mais relevante e o que chamou a atenção da empresa foi que, embora 95% das pessoas tenham sinalizado que irão acompanhar a Copa pela TV, 49% acreditam que as hashtags no Twitter ajudam a ficar por dentro do que se passa na competição.

Untitled-9

Ficou curioso ? Confira abaixo outros dados interessantes:

Twitter e a Copa do Mundo 2014

  • 99% vão acompanhar os jogos
  • 95% vão acompanhar através de transmissão ao vivo pela TV
  • 4 em cada 5 vão assistir aos jogos com amigos
  • 3 em cada 4 planejam assistir mais jogos em 2014 do que assistiram em 2010
  • 80% dos usuários fazem alguma atividade relacionada a futebol
  • Metade segue per?s de clubes de futebol
  • 40% retweetaram mensagens de jogadores e clubes
  • 58% dizem que as notícias são divulgadas mais rápidas no Twitter
  • 76% já compraram ou pretendem comprar artigos o?ciais da Copa do Mundo FIFA 2014
  • 49% acreditam que as hashtags ajudam a ?car por dentro do que passa na TV

Quem os tuiteiros seguem

  • Clubes (51%)
  • Jogadores de futebol (44%)
  • Canais de esportes (42%)
  • Marcas patrocinadoras (31%)

 

Panini neles!

Não poderia encerrar esse post sem falar a febre do momento: o álbum de figurinhas da Copa do Mundo! Como explicar esse sucesso mesmo com tantas pessoas contra o evento? Acho que o segredo é o novo comportamento desse colecionador, e é claro, as redes sociais que são a nova plataforma de troca e negociação. Grupos, páginas, chats, aplicativos e perfis específicos de troca. Tudo organizado e agendado, e como poucas vezes, o digital servindo de plataforma para uma aproximação fisica e real nos pontos de troca presenciais. Nem mesmo o álbum virtual ou as figurinhas exclusivas online fazem tanto sucesso quanto o tradicional, bom e velho relacionamento. Quem já baixou o aplicativo oficial da Panini para gerenciar sua trocas que levante as mãos. \o/

A propósito, pra mim só falta a 412 (escudo da Argentina)! Quem tiver essa repetida manda e-mail. 🙂

Untitled-10



0 comments